Ah, Buenos Aires


Fiquei alguns dias longe do computador, mas voltei! Aí vão alguns posts fresquinhos.

Domingo de sol em Buenos Aires é uma delícia. Domingo de sol em Buenos Aires com Francisco e Nacho é muito melhor. Saímos os três para um ótimo passeio pela cidade. Destino: Puerto Madero, San Telmo e Palermo. Esses são três dos meus lugares preferidos. Puerto Madero é um bairro moderno. O lugar foi totalmente remodelado no final da década de 80, era decadente até então. Virou um dos pontos mais visitados da capital argentina. Cruzando a ponte sobre o Rio da Prata, há lindas avenidas, praças, prédios novos e até uma reserva ecológica. Os argentinos têm um costume muito legal de sentar nas praças para comer, ler, conversar. Como era domingo, elas estavam cheias. Nós três, então, resolvemos ir ao Museu Fortabat, inaugurado em fins de 2008. Fica num prédio lindíssimo e super moderno, como todos em Puerto Madero. Para quem gosta de arte, vale a pena. Há obras dos principais artistas argentinos, como Carlos Alonso, Libero Badii e Xul Solar, que eu não conhecia. Na coleção também estão Chagal, Dalí e Rodin. O museu leva o nome de Amalia Lacroze de Fortabat, uma socialite argentina, que inclusive foi retratada por Andy Wharhol (quadro que também está no museu).

eu e francisco em puerto madero

eu e francisco em puerto madero

entrada do museu

entrada do museu

dsc02057

Do moderno Puerto Madero fomos ao antigo San Telmo, um dos lugares que adoro. Já conhecia o bairro, mas não no domingo, quando acontece a famosa feira da praça Dorrego. A feira, na verdade, se estende por várias ruas e tem como principal atração as antiguidades. Peças de todos os tipos e para todos os gostos ficam expostas nas barraquinhas e também nos antiquários, que estão por toda a parte. Mas os preços são salgados. Eu, com 20 quilos na bagagem, não pude comprar nem um alfinete. Almoçamos por lá e ficamos andando por aquelas ruazinhas lindas. A Calle Defensa é a principal, foi aberta em 1849. Até metade do século XIX, a região era moradia das famílias mais abastadas da cidade. Uma epidemia de febre amarela, em 1871, os fez mudar para outras partes de Buenos Aires e, com o tempo, San Telmo passou a ser um bairro boêmio. Nosso dia terminou em Palermo, com um cafezinho. Adoro Buenos Aires.

francisco, eu e nacho

francisco, eu e nacho

ensaio fotográfico na casa mínima
ensaio fotográfico na casa mínima

Quer ir ao museu?

Collección de Arte Amalia Lacroze de Fortabat

Calle Olga Cossettini, 141 (dique 4, Puerto Madero Este)

De terça a sexta, das 12 às 21 h

Sábados e domingos, das 10 às 21h

Anúncios

1 comentário

Arquivado em argentina, Pelo mundo

Uma resposta para “Ah, Buenos Aires

  1. Mami

    Que legal tudo isso que você está vivendo. Curta bem cada segundo.
    By the way, você trocou as letras ao escrever século 19 ( XIX ).
    Um beijo. Te amo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s