Um dia e meio em Montevideo


O Andrés, um dos cerca de 3 milhões de habitantes do Uruguai, me recebeu muito bem na casa dele. Cheguei em Montevideo de ônibus, às 9h30 da noite de uma terça-feira, e ele e Daniela – a namorada – foram me buscar no terminal de bus. Andrés é designer e mora um bairro pertinho de tudo. Dá para ir caminhando até o centro e até as praias de Punta Carretas e Pocitos. (É, eu vou longe mas não consigo ficar longe dos designers…uma homenagem à DomaDesign). Me hospedando na casa do Andrés eu pude não só conhecer alguns cantinhos da cidade, como ficar sabendo mais sobre o dia-a-dia e a cultura do país. “O Uruguai é um país com pouca identidade”, ele diz. “Muito do que consumimos vem da Argentina, como programas de televisão”, acrescenta, durante uma conversa que tivemos no café da manhã, antes de eu sair para um passeio pela cidade velha. Mas uma coisa é muito peculiar no Uruguai: eles bebem mate, assim como argentinos, paraguaios e alguns brasileiros, mas me impressionou a quantidade de pessoas nas ruas carregando a tal mistura de erva e água quente. Os tomadores de mate estão por toda a parte e carregam a bebida de uma forma bem diferente: a garrafa térmica de baixo do braço e a pequena cuia (não como estamos acostumados a ver no Brasil) na mão do mesmo braço. É uma comédia. Ah, eu não fotografei…que lástima.

DSC02304

DSC02340

Em 2008, cerca de 1% da população deixou o país em busca de estudo e emprego em outros lugares, principalmente na Argentina. É uma porcentagem grande, já que são 3 milhões de pessoas, metade delas vivendo na capital. Montevideo não é muito grande, e tem um ar de cidade do interior. A cidade em si não me chamou muito a atenção. Os dias foram de sol e andei bastante pelos quatro cantos, passando pelo centro, cidade velha, porto, Punta Carretas e Pocitos. É claro que em um dia e meio não se pode sentir nem conhecer muito bem uma cidade, mas valeu.

30 de abril foi a data que planejei para voltar a Buenos Aires. Peguei o ônibus rumo a Colonia para uma viagem tranqüila de duas horas e meia. Cheguei na linda cidade às 17h30. O barco sairia às 19h, mas atrasou e acabou saindo às 21h30. Resultado: quatro horas de espera, o saguão da companhia de barco completamente lotado e gente reclamando por todos os lados. Um grupo de músicos uruguaios salvou o dia. Com seus violões fizeram um show particular para nós com ótimas músicas. O público respondeu muito bem, acompanhando e aplaudindo tudo. No final, foi super divertido. Cheguei em Buenos Aires às 22h30 e ainda tinha uma outra viagem pela frente: porto do buquebus – estação retiro (a pé, porque os taxistas queriam me cobrar 40 pesos por dois minutos de corrida); estação retiro – beccar. No final foi ótimo, aproveitei bastante, mas Montevideo é um lugar que eu, definitivamente, não moraria. Diferente de Buenos Aires.

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Pelo mundo

2 Respostas para “Um dia e meio em Montevideo

  1. Eduardo Duka

    Show Renata…… to acompanhando heim…rsrs
    Bjo

  2. Fernanda

    oi querida! nossa.. mto show esse blog… não tinha visto ainda!!! vc. nem me avisou… enfim, estamos longe mas vamos acompanhando suas aventuras!!! e guria, como vc. está zanzando desse jeito com suas malas… (q. a Gi contou q. eram gigantescas e pesadas.. hehehe) saudades!!! bj

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s