Cusco mágico


Voltei! Depois de muitos e-mails e pedidos de atualização do blog, estou de volta com mais histórias. Já estou em Lima, mas morrendo de saudades de Cusco e de tudo que vivi por lá. 

Cusco é incrível, eu poderia ficar lá por meses e meses. Tem um astral diferente, meio mágico eu acho. Não é para menos. Foi a sede do Império Inca e a cidade mais importante da América do Sul durante séculos. Sua fundação é atribuída ao primeiro inca, Manco Cápac, e sua modernização ao inca Pachacútec, que chegou ao poder em 1438. Segundo a história, foi com Pachacútec que o domínio incaico tornou-se ainda maior, expandindo-se para o norte até Quito e para o sul até o Chile.

 

plaza de armas

plaza de armas

 

Ainda se pode ver construções daquela época por quase toda a cidade, mas quando os espanhóis chegaram por lá, em 1533, destruíram praticamente tudo e construíram suas igrejas e casarões aproveitando muros construídos pedra sobre pedra pelo povo quéchua (eram chamados assim). A Plaza de Armas, por exemplo, era rodeada por palácios incas. Hoje ainda conserva alguns muros, mas por cima deles foram construídas a catedral e a igreja da Companhia de Jesus. A praça e o charmoso bairro de San Blás foram os lugares que mais me chamaram atenção em Cusco. Eu e Patricia ficamos hospedadas num hostel de San Blás e sempre descobríamos uma ruazinha nova para passear. As ruas são super estreitinhas e charmosas e andando por elas a impressão que dá é a de que voltamos no tempo. Lindo, lindo, lindo!

Chegamos à cidade sem saber muito bem por quantos dias iríamos estar por ali. Quatro, cinco talvez…acabamos ficando dez dias. Dez lindos dias que valeram a pena pela história e a magia desse lugar. Um dos lugares que mais gostei nessa minha viagem. Sem dúvida.

 DSC05487

Mais

– Acredita-se que Cusco foi planejada para ter o formato de um puma (animal sagrado para os incas).

– Existem muitas ruínas incas ao redor de Cusco. Saqsaywaman é a mais conhecida delas e fica a 2 quilômetros do centro subindo um morro. É possível ir a pé. Foi construída com grandes pedras (a mais pesada tem 70 toneladas) e serviu como canteiro para a construção de igrejas e casas dos espanhóis. É nesse lugar que se realiza, todo 24 de junho, a festa de Inti Raymi, ou adoração ao sol.

– O Valle Sagrado é outra atração imperdível. A paisagem é linda e pode-se conhecer as ruínas de Ollantaytambo, Pisac e Chinchero.

– Para conhecer essas e outras ruínas e alguns museus da cidade, pode-se comprar o boleto turístico. Ele é válido por 10 dias e custa 130 soles para turistas estrangeiros (70 para estudantes). Compramos e pudemos conhecer vários lugares interessantes.

– O feio de Cusco: é difícil ter sossego andando pelas ruas do centro da cidade. Próximo à praça, milhares de pessoas oferecem desde passeios turísticos, a artesanato e massagens. Alguns querem te puxar para dentro dos restaurantes. “Comprame señorita” é a frase mais ouvida. Tem também a ótima “Manicure, pedicure, massage, madame, maybe later”. Cansa mas até que é divertido.

– Cusco está na rota de milhares e milhares de turistas e mochileiros do mundo por causa de Machu Picchu. Demoramos alguns dias para decidir como chegaríamos até lá. Se pode comprar um tour, ir de trem ou caminhar alguns dias. Decidimos ir caminhando. Mas isso é um assunto para outro post.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Pelo mundo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s